Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Doenças com sintomas semelhantes à doença de Parkinson

Créditos Imagem

As pessoas que apresentam sintomas que se assemelham à doença de Parkinson, mas que resultam de outras causas, são conhecidas por sofrerem de parkinsonismo. Saiba quais são as doenças com sintomas semelhantes à doença de Parkinson e conheça todas as formas de parkinsonismo existentes.

Das doenças com sintomas semelhantes à doença de Parkinson, destacam-se os distúrbios seguintes:

Parkinsonismo Pós-Encefalítico

Logo após a Primeira Guerra Mundial, uma doença viral conhecida como encefalite letárgica atacou quase 5 milhões de pessoas em todo o mundo e, de repente, desapareceu por volta do ano de 1920. Esta doença ficou conhecida como a doença do sono nos Estados Unidos da América (EUA) e matou um terço das suas vítimas e levou o Parkinsonismo Pós-Encefalítico a muitos outros países. Esta doença foi incompreendida durante muitos anos e só com a introdução do medicamento Levodopa é que se assistiram aos primeiros progressos da doença. Em casos raros, outras infeções virais, incluindo a encefalomielite equina ocidental, oriental e encefalite japonesa B, causaram sintomas parkinsonianos.

Parkinsonismo induzido por droga

Uma forma reversível de parkinsonismo resulta, por vezes, do uso de determinadas drogas, como o clorpromazina e o haloperidol, que são prescritos para pacientes que apresentam transtornos psiquiátricos. Por outro lado, existem outros medicamentos que também podem produzir sintomas parkinsonianos, como o metoclopramida nas doenças de estômago, o reserpina nas pressões altas e o valproato nos casos de epilepsia. Tenha em atenção que a interrupção ou diminuição drástica destes medicamentos pode provocar os sintomas da doença de Parkinson.

Parkinsonismo induzido por toxina

Algumas toxinas como o pó de manganês, dissulfeto de carbono e monóxido de carbono podem causar parkinsonismo. O produto químico MPTP é também uma neurotoxina que provoca uma forma permanente de parkinsonismo, que se assemelha à doença de Parkinson. Esta reação foi descoberta em 1980, quando alguns dependentes de heroína haviam tomado uma droga de rua ilícita que estava contaminada com MPTP, começando a desenvolver um estado de parkinsonismo grave. Esta reação mostrou que uma substância tóxica pode danificar o cérebro e produzir sintomas parkinsonianos, o que foi um avanço extraordinário no estudo da Parkinson. Pela primeira vez, os cientistas foram capazes de testar a doença de Parkinson em animais e, dessa forma, puderam estudar todos os comportamentos e compreender melhor a forma de atuação da doença.

Parkinsonismo arteriosclerótico

O Parkinsonismo arteriosclerótico é também conhecido como pseudoparkinsonismo e parkinsonismo vascular e está relacionado com os danos que ocorrem no cérebro devido a vários derrames cerebrais. Os tremores são raros neste tipo de parkinsonismo, ao passo que a demência – a perda de habilidades e faculdades mentais – é muito comum. Os medicamentos antiparkinsónicos não constituem uma ajuda relevante para todos os pacientes que têm esta forma de parkinsonismo.

Complexo parkinsonismo-demência de Guam

Esta doença ocorre entre as populações de Chamorro de Guam e das ilhas Marianas e pode ser acompanhada por uma doença motora dos neurónios, muito parecida com a esclerose lateral amiotrófica (doença de Lou Gehrig). Esta doença tem uma evolução muito rápida e, geralmente, a morte ocorre num período médio de 5 anos.

Parkinsonismo pós-traumático

Esta doença é também conhecida como encefalopatia pós-traumática ou demência pugilistica e os sintomas parkinsonianos que a constituem podem desenvolver-se após um ferimento grave na cabeça ou traumas cranianos resultantes de atividades ou desportos violentos, como por exemplo, o boxe.

O tremor essencial

O tremor essencial é, muitas vezes, apelidado de tremor essencial benigno ou tremor familiar e é uma condição comum que tende a ser genético e progride lentamente ao longo do tempo. Por norma, o tremor é igual nas duas mãos e aumenta quando as mãos estão em movimento. É de realçar que o tremor pode também afetar a cabeça, mas geralmente, não condiciona as pernas. O tremor essencial não é o mesmo que a doença de Parkinson e não conduz a ela, no entanto, alguns casos apresentam as duas doenças. É de realçar que o tremor essencial não responde ao medicamento Levodopa, mas pode ser tratado com outros medicamentos, como o Propranolol e a Primidona.

Hidrocefalia de pressão normal

A hidrocefalia de pressão normal é caracterizada por um aumento anormal do líquor (líquido cérebro-espinhal) nas cavidades cerebrais chamadas de ventrículos. Esta doença ocorre quando o fluxo normal de líquor que se encontra no cérebro e na medula espinal é bloqueado de alguma maneira. Esta situação faz com que os ventrículos aumentem a pressão sobre o cérebro. Os sintomas principais incluem:

  • Problemas em andar
  • Incontinência e dificuldades urinárias
  • Demência
  • Desaceleração de movimentos

Estes sintomas são muitas vezes confundidos com a doença de Parkinson, no entanto, os testes cerebrais ajudam a distinguir estas duas doenças com uma maior precisão. A hidrocefalia de pressão normal pode ser tratada cirurgicamente através da implantação de um derivante de líquor que drena o líquido em excesso para o abdómen, onde é, posteriormente, absorvido.

Paralisia supranuclear progressiva

A paralisia supranuclear progressiva foi inicialmente identificada como Síndrome de Richardson, Olszewski e Steele e é uma doença cerebral progressiva rara que provoca inúmeras dificuldades no controlo da marcha e do equilíbrio. No início da paralisia supranuclear progressiva, as pessoas têm tendência a cair aparatosamente no chão e um dos sinais mais evidentes da doença é a incapacidade de mover corretamente os olhos. Todos os pacientes que sofrem desta doença apresentam alterações significativas de humor e comportamento, incluindo a depressão e a apatia, assim como alguns traços de demência. Esta doença é muitas vezes diagnosticada porque alguns dos seus sintomas principais são muito parecidos com aqueles que se encontram nas doenças de Parkinson, Alzheimer e outras desordens cerebrais. Contudo, na paralisia supranuclear progressiva, os sintomas não respondem à medicação.

Degeneração corticobasal

A degeneração corticobasal resulta da atrofia das múltiplas áreas do cérebro, incluindo o córtex cerebral e os gânglios basais. Os sintomas iniciais podem surgir apenas de um lado do corpo, mas, eventualmente, irão afetar os dois. Os sintomas que fazem parte da degeneração corticobasal são similares aos encontrados na doença de Parkinson, como por exemplo:

  • A rigidez
  • A perda de equilíbrio e de coordenação
  • Distonia
  • Alterações cognitivas visuais e espaciais (apraxia, fala hesitante, mioclonia e dificuldades em engolir)

Ao contrário da doença de Parkinson, a degeneração corticobasal geralmente não responde à medicação.

Atrofia de múltiplos sistemas

A atrofia de múltiplos sistemas refere-se a um conjunto de distúrbios que lenta e progressivamente vão afetando a autonomia do sistema nervoso central. Esta doença produz uma má coordenação de movimentos, fala arrastada, dificuldades respiratórias, impotência masculina, obstipação e dificuldades urinárias. Este distúrbio ficou conhecido como Síndrome de Shy-Drager e revela uma queda na pressão arterial cada vez que a pessoa se levanta.

Demência com corpos de Lewy

A demência com corpos de Lewy é uma doença neurodegenerativa associada com depósitos anormais de proteínas (corpos de Lewy) encontrados em determinadas áreas do cérebro. Os sintomas são muito variados e, por norma, incluem os sinais parkinsonianos como a rigidez, bradicinesia e tremores e os indícios da doença de Alzheimer. Os pacientes com demência com corpos de Lewy também têm alucinações visuais, distúrbios psiquiátricos e sofrem de depressão. No entanto, existem medicamentos como a Levodopa e outros antiparkinsónicos que ajudam a combater os sinais principais desta doença.

Parkinsonismo e outras doenças neurológicas

Existem sintomas parkinsonianos que também aparecem em pacientes com outras doenças neurológicas, tais como a doença de Wilson, de Huntington, de Alzheimer e de Creutzfeldt-Jakob. Cada uma destas desordens tem características específicas que são facilmente distinguidas da doença de Parkinson.

A sua votação: 
Average: 4.2 (24 votos)