Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Como cuidar dos pais com os restantes irmãos

Casal de idosos
Créditos Imagem

Cuidar de pais idosos – quer vivam sozinhos, num lar ou na casa de algum familiar – é uma responsabilidade que deve ser partilhada entre todos os irmãos. Cuidar de um idoso não é uma tarefa fácil e é um trabalho desgastante, por isso, se todos os irmãos ajudarem, a vida de todos será mais facilitada.

Onde todos ajudam…

Quando os nossos pais começam a envelhecer, sentimos que chegou a nossa hora de tomar conta deles – para além de necessitarem disso mesmo, sentimos que lhes devemos isso, principalmente depois de tudo aquilo que já fizeram por nós desde que nascemos. Se conseguirmos cuidar dos pais idosos com a colaboração dos restantes irmãos, tanto melhor. No entanto, quando se reúne muita gente em torno de uma situação, vão existir opiniões diferentes, gestos diferentes e soluções diferentes. As ideias e perspetivas distintas até podem ser boas, na medida em que trazem à luz algo que possa estar a escapar a um ou alertar para algo sobre o qual ainda ninguém tinha pensado. Envolver todos os irmãos para cuidar de pais idosos pode não ser a tarefa mais fácil do mundo, mas é possível, e pode trazer com ela grandes vantagens para todos.

Comunicação contínua

Uma das chaves do sucesso para cuidar de pais idosos com os restantes irmãos passa por uma linha de comunicação sempre aberta entre todos, ou seja, nada deve ser decidido ou feito sem todos serem informados. Agendem uma reunião familiar para discutirem os assuntos que têm em mãos e se isso não for possível (no caso de viverem longe uns dos outros), comuniquem via telefone ou email. O importante é que todos saibam o que se está a passar, sempre. Isto inclui as notícias menos boas, ou seja, evitem “esconder” incidentes ou informações negativas sobre os pais uns dos outros. Embora exista sempre um ou dois irmãos que tomem as rédeas da situação, ou seja, são por natureza os líderes – ora porque têm uma relação mais próxima com os pais, ora porque vivem na mesma cidade – isso não invalida que os outros irmãos não sejam devidamente informados e convidados a participar e a opinar.

Facilidades financeiras

Um dos principais focos de tensão dentro de uma família que necessita de cuidar dos seus pais são, inevitavelmente, as questões financeiras. Aliás, este deve ser um dos principais assuntos a discutir antes de se decidir cuidar de alguém, ou seja, como vão fazê-lo do ponto de vista financeiro? Pode parecer, à primeira vista, uma pergunta supérflua à luz da situação em si e do facto de se tratar dos vossos pais, mas este assunto não deve ser contornado, nem deixado para mais tarde porque têm vergonha de falar sobre dinheiro. São irmãos e cresceram juntos e isso é mais do que suficiente para poderem falar de tudo, incluindo dinheiro, sem tabus, sem meias medidas. Decidam como vão dividir as despesas, quem vai contribuir com quê, se podem ou não contar com os recursos financeiros dos pais, se vão abrir uma conta onde se deposita o dinheiro todos os meses e todos têm acesso – o importante é delinearem um plano que seja conveniente para todos. Uma vez decidido isto vão poupar tempo, chatices e dinheiro (não raras vezes são um ou dois irmãos que acabam por suportar tudo)… e podem-se concentrar naquilo que realmente interessa – os vossos pais.

Tarefas repartidas

Depois das palavras vêm as ações e aí também todos devem participar o máximo possível. Um pai idoso requer muitos cuidados – pode precisar de ser levado ao médico ou à fisioterapia, necessita de companhia para fazer a sua caminhada no final do dia, precisa que alguém lhe faça as compras de supermercado ou lhe compre os medicamentos do mês na farmácia… esta lista é extensa e diária, por isso, é importante que as tarefas sejam repartidas entre todos os irmãos. Reúnem e analisem os vossos horários e estilos de vida, de forma a organizar as tarefas de uma maneira que não seja prejudicial para ninguém, principalmente para os pais idosos, que contam com vocês. A divisão das tarefas também pode ser feita tendo em conta as aptidões de cada um e as coisas que realmente gostam de fazer – para que cuidar dos pais seja mais um prazer do que um dever.

Apoio emocional

Ver uma mãe ou pai, ou ambos, a envelhecerem ou a sucumbirem a uma doença terminal é extremamente difícil, daí a importância de manter todos os irmãos ativos e unidos nesta nova etapa da vida familiar. Tão importante como a presença física de todos os irmãos, é o apoio emocional que todos podem partilhar uns com os outros – algo que se revela crucial para o bem-estar de quem cuida, de quem está a ser cuidado e da harmonia familiar em geral. Entre recordar bons velhos tempos ou chorar a progressão da doença de um pai idoso, poder contar com um sorriso e um ombro “irmão” é precioso. Sejam tolerantes, compreensivos, flexíveis e pacientes uns com os outros, afinal de contas, estão todos a passar pelo mesmo.

Alívio para quem cuida

Poder cuidar de pais idosos com o apoio incondicional de todos os irmãos é também importante para quem está a cuidar e que nem sempre tem disponibilidade física, mental ou emocional para cumprir as tarefas e compromissos que assumiu. Ao poder contar com os restantes irmãos, sabe que se se atrasar pode telefonar a alguém para ir buscar os pais à aula de hidroginástica ou, se sentir-se exausta, sabe que pode contar com outra pessoa para fazer companhia aos pais durante o fim de semana enquanto descansa. Para além de saber pedir ajuda quando necessário, também é crucial estar atento ao que está a acontecer à sua volta e saber oferecer ajuda a um irmão que possa estar sobrecarregado e a precisar de uma pausa.

Os inevitáveis problemas e discussões

É lógico que as coisas nem sempre vão correr dentro do esperado e que muitos planos vão sair furados, o que pode originar problemas e discussões entre os irmãos e até com os próprios pais. O que está em jogo aqui é o bem-estar dos pais idosos e não se a sua ideia prevalece à do seu irmão, se existe uma competição para ver quem faz mais pelos pais ou se existem irmãos que falam diariamente ao telefone sem contar nada aos outros. Mais tarde ou mais cedo, tudo se sabe e dores de cabeça e de coração já vocês vão ter diariamente, por isso, a tendência deve ser para evitar problemas e discussões, não acumulá-las. Para quem vive longe e presta o seu apoio financeiramente ou através de visitas ocasionais, é importante que reconheça o trabalho e esforço que os restantes irmãos estão a levar a cabo. Se mantiverem as linhas de comunicação abertas, se efetivamente fizerem aquilo com que se comprometeram, se forem solidários com os irmãos, evitarem cometer os erros comuns nestas situações e colocarem sempre os interesses dos pais idosos em primeiro lugar, cuidar dos pais em conjunto com os irmãos será algo que os vai unir ainda mais.

A sua votação: 
Average: 4.7 (62 votos)