Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Apoio domiciliário social disponível para cuidar de uma pessoa idosa

Cuidar de uma pessoa idosa
Créditos Imagem

O apoio domiciliário representa uma mais-valia no cuidar de uma pessoa idosa. Para o receber, o idoso não precisa de sair do conforto do seu lar, o que por si só constitui uma excelente alternativa aos lares de idade. O apoio ao domicílio possibilita o acompanhamento e o auxílio das tarefas do dia-a-dia de um idoso, desde a sua higiene pessoal, à limpeza da casa, até à sua alimentação. Conheça o apoio domiciliário disponível para cuidar de uma pessoa idosa e saiba o porquê desta ajuda ser tão preciosa.

O que é o apoio domiciliário

O apoio domiciliário é a ajuda prestada por parte de outrem a uma pessoa com dificuldades em realizar as suas tarefas e necessidades. O apoio ao domicílio pode ser prestado por instituições particulares de solidariedade social (IPSS), que são incentivadas pelo governo, e/ou outras entidades privadas.
As IPSS podem ser de natureza associativa, como a Santa Casa da Misericórdia ou de natureza fundacional, como a Fundação Abreu Callado. Todas elas têm como finalidade última o apoio nas diversas situações de instabilidade, exclusão ou carência humana. Por exemplo, um idoso debilitado, por mais difícil que seja em admiti-lo, é uma das pessoas que mais precisa do auxílio dos outros. A sua fragilidade requer cuidados constantes e especiais, especialmente ao nível da saúde, alimentação e higiene pessoal. Ir sozinho à casa de banho pode revelar-se uma grande dificuldade, assim como alimentar-se corretamente ou tomar a medicação adequada.
Nesse sentido, o apoio domiciliário é usualmente uma boa alternativa para quem não tem posses para cuidar de um idoso a tempo inteiro, ou para quem deseja que a pessoa seja cuidada em casa. O apoio domiciliário é, sem dúvida, uma resposta de qualidade às necessidades de todos os idosos e faz com que estes gozem de uma maior qualidade de vida, no conforto do próprio lar.

Os apoios domiciliários disponíveis

Para cuidar de uma pessoa idosa existem vários apoios domiciliários que podem ser disponibilizados. Destacam-se os seguintes:

Apoio a Idosos e Dependentes: O Apoio a Idosos e Dependentes é uma ação social desenvolvida pela Cruz Vermelha Portuguesa. Tem como objetivo prestar os cuidados essenciais no domicílio de uma pessoa idosa e fá-lo pela disponibilização de transporte adaptado para pessoas com dificuldade de mobilidade e pelos préstimos de ajudas técnicas que ajudam um idoso na prossecução diária das suas tarefas;

O serviço de Telealarme: Este serviço faz parte do Programa de Apoio Integrado a Idosos e funciona através de um protocolo desenvolvido entre a Segurança Social, o Ministério da Saúde, a Cruz Vermelha e a PT Comunicações. Tem como objetivo o auxílio de todas as pessoas idosas que se encontram numa situação de dependência física, psicológica ou social. No próprio domicílio é instalado um telefone especial com um botão de alarme integrado e em caso de alguma dificuldade ou necessidade o idoso tem apenas de pressionar o botão para entrar em diálogo com a operadora, que, imediatamente, solicita o apoio mais adequado. O Telealarme é assim uma resposta social assente num sistema inovador de telecomunicações. Pode aceder à proposta de adesão em:

  • Instituto da Segurança Social, I.P. / Programa de Apoio Integrado a Idosos –PAII -Telefone: 21 31 84 900
  • Cruz Vermelha Portuguesa - Telefone: 21 39 60 117
  • PT Comunicações - Telefone: 800 20 62 06

O Serviço de Apoio Domiciliário (SAD): É uma forma de prestar cuidados personalizados e individualizados a pessoas que, por motivos de doença, deficiência ou outro impedimento, não conseguem assegurar de forma temporária ou permanente, a satisfação das suas necessidades básicas do dia-a-dia. O SAD é institucionalizado pela Segurança Social e pode ser desenvolvido a partir de uma estrutura criada com essa finalidade ou a partir de uma estrutura já existente - lar, centro de dia ou outra. É uma reposta social que resulta num apoio contínuo nas 24 horas do dia e em casos de emergência. Este serviço encontra-se disponível para adesão em todo o país e trata-se de uma rede de serviços organizada que trabalha em parceria com os serviços locais de saúde e autarquia. Para aderir, pode fazê-lo no centro de saúde local ou através da junta de freguesia;

O Apoio Domiciliário Integrado (ADI): É um serviço existente em algumas estruturas da Cruz Vermelha Portuguesa e tem como objetivo a prestação de apoio social e de saúde ao domicílio. Assegura a prestação de cuidados de enfermagem e oferece a avaliação médica em casos de natureza preventiva e curativa. É um serviço fundamental para idosos muito debilitados que não têm grande capacidade de mobilidade;

As Unidades de Apoio Integrado: As Unidades de Apoio Integrado (UAI) inserem-se no âmbito dos Cuidados Continuados por parte do Governo e são dirigidas a todos os idosos acamados que têm problemas crónicos de saúde. Têm como objetivo prestar os cuidados temporários, globais e integrados às pessoas que, por motivos de dependência não se conseguem apoiar em pé no seu domicílio. As UAI dirigem-se à casa dos idosos e, no próprio local, dão a assistência necessária a todos os que não carecem de cuidados clínicos em internamento hospitalar. As UAI encontram-se em todo o país e destinam-se a todas as pessoas com necessidade de cuidados de saúde continuados e de apoio social, qualquer que seja a sua idade e origem. Para beneficiarem deste apoio podem fazê-lo no centro de segurança social da sua área; 

Linha do Cidadão Idoso (800 203 531): Esta é uma linha de apoio gratuita para todos os idosos. Dá informações sobre os direitos e benefícios em áreas como a saúde, segurança social, habitação, equipamentos e serviços e tempos livres. Encontra-se em funcionamento aos dias úteis das 9h00 às 17h00. Fora deste horário, a pessoa pode deixar as suas dúvidas e contacto num atendedor de chamadas, que depois, será contactada de volta.

Estes são os principais apoios domiciliários públicos que auxiliam o cuidar de uma pessoa idosa. Se os considerar insuficientes, uma vez que tomar conta de um idoso é uma tarefa a realizar a tempo inteiro, ocupando na maioria dos casos 24 horas, pode sempre optar pelo setor privado que, apesar de ter os preços mais elevados, também dispõe de serviços de grande qualidade de apoio domiciliário.

A sua votação: 
Average: 4.6 (28 votos)