Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Dicas com idosos

3 entradas / 0 new
Última mensagem
dodous00
Offline
Last seen: 3 anos 1 mês atrás
Membro desde: 14/07/2014 - 04:43
Dicas com idosos

Primeiramente bom dia. Gostaria de contar minha história pra vocês, pra ver se alguém pode me dar uma luz, pra eu poder tomar um caminho.

Tenho 22 anos, meu pai faz 12 anos que é alcoolatra, sempre foi envolvido com politica, porem depois que se aposentou nos mudamos para nossa chacara, e a situação começou. Ele tem 75 anos hoje, teimoso que nem uma mula empacada, bebe todos os dias, falta higiene, briga comigo por tudo, e eu acabei ficando com a responsabilidade de cuidar dele, pois todos os meus irmãos são casados, e minha mãe infelizmente veio a falecer a pouco tempo, 7 meses pra ser mais exato, hoje. Ela teve problemas de cancer de pulmão, devido ao excesso de cigarro. Porém meu pai, continuou da mesma maneira, com os mesmos habitos, porém sem ela pra ele agredir verbalmente. Só que me encontro em uma situação confusa, porque eu tento conversar, dar atenção, ajudar, porém ele não aceita nada disso. Estou tentando fazer ele frequentar um psicologo, porem ja esta desistindo também. Não sei mais o que faço, pra onde correr, eu vejo cada dia mais ele se mal tratando, caindo bebado. ele tem duas fases, uma dura em torno de 10 dias no mes, que eu apelidei de lua boa, nisso ele ajuda, conversa, ta feliz, no resto do mes é o terror. Gostaria de uma ajuda, o que faço, com quem converso, alguma idéia, pra melhorar a vida dele, e automaticamente a minha

agradeço, att.

pedro ribeiro
Offline
Last seen: 3 anos 3 s atrás
Membro desde: 02/08/2014 - 01:10

Boa noite,

Vivo com a minha mãe de 82 anos, (os 2 juntos há 20 anos, desde que faleceu o meu pai), doente diabética, ainda com bastante autonomia, mas com quem é cada vez mais difícil o relacionamento, sendo também bastante propensa a depressões.

Sou homem, trabalho longe de casa num emprego bastante exigente, pelo que a minha mãe fica sozinha das 7 da manhã às 8 da noite. Pouco mais faço que umas pequenas limpezas e distribuo os medicamentos para tomar durante o dia. No entanto, acompanho-a sempre ao médico e a tratamentos, como também a levo muitas vezes ao fim de semana a passear e almoçar ou lanchar fora.

A minha maior dificuldade é fazê-la aceitar os meus reparos e conselhos, transforma o 8 em 80. Por exemplo, sofre periodicamente de incontinência e diarreia mas recusa-se a usar fralda; não gosta que lhe ralhe quando lhe digo para subir as meias porque como são elásticas se não estiverem bem esticadas o sangue não circula; tem problema nos joanetes dos pés mas não consigo convencê-la a comprar sapatos ortopédicos; reage muito mal quando lhe digo que tem alguma nódoa na roupa, ou se a ajudo a cortar a carne num restaurante, ou se lhe ajeito o penteado do cabelo; não quer que contrate uma pessoa para ajudar na limpeza da casa; sugeri que um dia poderia ir para um bom lar porque tem dinheiro suficiente e a assistência seria bem melhor que a atualmente tem, mas interpretou que a estava a tentar expulsar de casa, ainda que efetivamente tenha desabafado que preferia ficar só a ter uma vida de desentendimentos.

O relacionamento está muito deteriorado, ainda que tenha alguma culpa porque nem sempre tenho a paciência suficiente, mas é impressionante o grau de aversão que a minha mãe ganhou por mim nos últimos tempos, porque desvaloriza tudo o que faço e não se interessa minimamente pelos meus problemas, para além de estar sempre a apontar casos de outras pessoas conhecidas em que esses sim são muito bem tratados pelos familiares. Recentemente tem feito queixa de mim aos vizinhos e familiares, sobre o meu desleixo, maus tratos e inclusive acusa-me de a roubar. As pessoas, nem todas bem-intencionadas, ficam muito chocadas, e já falam em recorrer a advogados e chamar a polícia.

Agradecia se possível alguns conselhos sobre como lidar pessoas difíceis, e se têm conhecimento de entidades / associações na região do Porto a que possa recorrer para ajuda psicológica.

Grato pela atenção dispensada.

Marcos Mattos
Offline
Last seen: 2 anos 9 meses atrás
Membro desde: 28/09/2014 - 04:57

Olá Pedro Ribeiro,

Li atentamente o seu relato, e fiquei impressionado com a enorme semelhança de situação pela qual também me encontro.

Sou um usuário recente neste fórum, resido no Brasil, na capital do meus país, Brasília/Distrito Federal.

Tudo o que você escreveu se assemelha em 95% dos factos que sucedem comigo, onde a diferença é apenas no tempo em que cuido de minha mãe, efetivamente desde o mês de novembro/2010, em decorrência do falecimento do meu pai, e também pela diferença de idade, minha mãe tem 78 anos.

Como ingressei hoje neste site, não sei (ou não vi) se o gestores deste espaço responderam o seu questionamento datado de 02/08/2014 (bastante recente), mas gostaria de promover um debate para avançarmos numa troca de idéias, e quem sabe alcançarmos algumas sugestões que possam se adequar às nossas dificuldades, que como escrevi acima, é de grande semelhança.

De qualquer forma, agradeço a todos pela atenção e espero que possamos dividir nossas experiências na difícil missão de cuidar de idosos, que no nosso caso trata-se de uma mãe, um ente querido e especial.

Abraço

Marcos Mattos
DIstrito Federal, Brasília
Brasil
América do Sul
e-mail para contato: marcosmattosfotografia@gmail.com