Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Sinais e riscos de um Acidente Vascular Cerebral

Enfermeira a medir a tensão
Créditos Imagem

Um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou Acidente Vascular Encefálico (AVE), é vulgarmente conhecido como um derrame cerebral e é umas das principais causas de morte e de incapacidade física e mental em todo o mundo, afetando tanto homens como mulheres. Saiba quais são os sinais e os riscos de um Acidente Vascular Cerebral e aprenda a cuidar corretamente da sua saúde.

O que é um Acidente Vascular Cerebral

Um acidente vascular cerebral (AVC) pode ser entendido como uma dificuldade de fornecimento de sangue e seus constituintes a uma determinada parte do cérebro, causando a morte das células cerebrais ou graves incapacidades físicas e mentais. Existem dois tipos de AVC:

O AVC isquémico

O AVC Isquémico acontece quando não há passagem de sangue para uma determinada região do cérebro, devido a uma obstrução dos vasos sanguíneos ou redução do fluxo sanguíneo no corpo. Dessa forma, as células cerebrais acabam por morrer, uma vez que deixam de receber o oxigénio e os nutrientes necessários para o seu correto funcionamento.

O AVC Isquémico pode acontecer nas situações seguintes:

  • Trombose arterial: quando se formam coágulos de sangue na metade esquerda do corpo.
  • Embolia cerebral: quando um coágulo de sangue ou uma placa de gordura ficam presas num ponto mais estreito, obstruindo a passagem do sangue.
  • Arterites: quando as artérias sanguíneas inflamam.
  • Vasoespasmo: quando os vasos sanguíneos reagem de uma forma anormal, impedindo a passagem de sangue.
  • Redução do fluxo sanguíneo: quando acontece uma paragem cardíaca ou um sangramento intenso em qualquer parte do corpo. Trata-se de um ataque isquémico transitório sem sequelas. No entanto, se nada for feito para o evitar, podem surgir ataques isquémicos permanentes com consequências.

O AVC Hemorrágico

O AVC Hemorrágico ocorre quando um vaso sanguíneo se rompe, derramando sangue nos espaços que envolvem as células cerebrais. Quando ocorre uma hemorragia, o sangue derramado ocupa um lugar no cérebro, empurra-o e comprime as suas estruturas, aumentando a pressão intracraniana.

O AVC Hemorrágico pode suceder nas situações seguintes:

  • Hemorragia Intracerebral: quando o sangue derrama para dentro do cérebro.
  • Hemorragia Subacnóidea: quando ocorre um extravasamento de sangue para o lado de fora do cérebro, designadamente entre o cérebro e a aracnóide.

Sintomas de um AVC

Os sintomas principais de um AVC incluem:

  • Dormência ou fraqueza súbita, especialmente num dos lados do corpo.
  • Confusão súbita ou problemas na fala e na compreensão da fala.
  • Dificuldade abrupta em ver através de um ou dos dois olhos.
  • Dificuldade súbita em caminhar.
  • Tonturas, perda de equilíbrio (à semelhança da doença de Parkinson) e de coordenação de movimentos.
  • Dores de cabeça fortes e súbitas, sem qualquer causa conhecida ou aparente.

Qual o prognóstico de um AVC

Um AVC pode conduzir a um estado de demência vascular e esta pode afetar todos os órgãos do corpo humano. Os seus efeitos podem ser devastadores, pois alteram completamente os hábitos de vida e a rotina diária de um paciente. Uma deficiência comum que resulta de um AVC é a paralisia completa de um lado do corpo, conhecida como hemiplegia. Outra incapacidade habitual, mas não tão débil como a paralisia, é a hemiparesia. De uma forma geral, um derrame cerebral causa inúmeros problemas ao nível do pensamento, consciência, atenção, aprendizagem, memória e julgamento e isso é um obstáculo gigantesco que todos os pacientes devem ultrapassar.

Todas as pessoas que sobrevivem a um AVC têm muitas dificuldades em entender e formar um discurso, têm graves problemas emocionais e isso conduz a sentimentos de depressão e de suicídio. Também é de realçar que os AVCs recorrentes são muito frequentes, pois, cerca de 25% das pessoas que recuperam do primeiro, sofrem outro num período máximo de 5 anos.

Fatores de risco para um AVC

Um AVC é tão grave e mortal como uma doença cardíaca e a melhor forma de o prevenir passa por combater os seus fatores de risco principais. Dos mais importantes, destacam-se os 8 seguintes:

1. As pressões arteriais

A pressão arterial é o fator de risco principal para a ocorrência de um AVC. Tanto as pressões altas como as baixas são prejudiciais à saúde humana e podem conduzir a um AVC. Dessa forma, e para que as suas pressões estejam sempre controladas, é necessário realizar uma dieta equilibrada, manter um peso saudável e fazer exercício físico com regularidade. Também existem medicamentos específicos que o ajudam a controlar as suas pressões arteriais, mas é aconselhável que estes sejam prescritos pelo seu médico de família.

2. As doenças cardíacas

Qualquer doença cardíaca, principalmente as que produzem arritmias, podem causar um AVC. Se o coração apresentar um batimento irregular, podem surgir dificuldades para o sangue chegar ao cérebro e isso determina um AVC Isquémico. Para que tal não aconteça, é necessário que um paciente visite regularmente o seu médico de família, para impedir a formação de coágulos no sangue.

3. O ato de fumar

O ato de fumar acelera o processo de aterosclerose que torna o sangue mais grosso ao longo dos anos, aumentando o risco de hipertensão arterial. Assim sendo, é fundamental que deixe de fumar para diminuir as hipóteses de sofrer um AVC. Se tiver dificuldades em deixar este vício, pode recorrer à ajuda do médico de família.

4. A diabetes

A diabetes é uma doença que indica que o nível de açúcar no sangue está elevado. Se os níveis de açúcar no sangue estiverem descontrolados, existem mais probabilidades de ocorrer um AVC. Para que tal não aconteça, faça exames regulares ao sangue, realize uma dieta saudável e faça muito exercício físico.

5. A idade

Quanto mais idosa for uma pessoa, mais probabilidades existem dela sofrer um AVC. No entanto, isso não significa que um jovem esteja a salvo, pois os AVCs podem acontecer em qualquer idade. O processo de envelhecimento é o mesmo para todos, mas a forma como cada um trata de si é bem diferente.

6. O género e a raça

Os homens até aos 50 anos de idade e de raça negra são mais propensos a sofrerem de um AVC do que as mulheres. Depois desta idade, o risco é praticamente igual para ambos. Para que isso não aconteça, é necessário exercitar o corpo e a mente de uma forma regular.

7. A obesidade

A obesidade aumenta o risco de diabetes, de hipertensão arterial e de aterosclerose, o que aumenta as hipóteses de sofrer um AVC, principalmente se o paciente tiver uma idade avançada. Tenha uma vida ativa para que tal não se suceda, faça exercício físico regular e perca peso de uma forma saudável.

8. O historial clínico

Todas as pessoas que têm problemas cardíacos ou que já sofreram um AVC são mais suscetíveis de desenvolverem um novo ataque vascular cerebral. Como tal, devem ser corretamente acompanhadas pelo médico de família.

A sua votação: 
Average: 4.4 (20 votos)