Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Problemas nos pulmões: como os identificar e tratar

Médico a auscultar doente
Créditos Imagem

A doença pulmonar é uma doença crónica e progressiva dos pulmões que condiciona e dificulta a forma de respirar. Normalmente, afeta os fumadores e as pessoas mais idosas e pode ser parcialmente reversível. Conheça quais são os principais problemas pulmonares e saiba como os identificar e tratar.

O que é a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC)

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), também conhecida como enfisema pulmonar ou bronquite crónica, é uma doença progressiva dos pulmões que está relacionada com a existência de uma obstrução ao nível do aparelho respiratório, no que diz respeito às vias aéreas de entrada e saída de ar.

Quando uma pessoa sofre de DPOC severa, é natural que sinta muitas dificuldades em realizar as tarefas mais básicas do dia-a-dia, como dar um passeio, vestir-se ou deslocar-se à casa de banho/banheiro. Muitos idosos que sofrem de DPOC, evitam realizar exercício físico porque ficam rapidamente com falta de ar.

Quais os sintomas da DPOC

Os sintomas principais da DPOC incluem:

  • Tosse constante, conhecida como “tosse de fumador”
  • Falta de ar na realização de atividades ou exercícios físicos que estava habituado a fazer
  • Excesso de produção de expetoração
  • Incapacidade de respirar durante alguns momentos
  • Não ser capaz de respirar de uma forma profunda
  • Desenvolver uma respiração asmática

A DPOC desenvolve-se muito lentamente e tem tendência a piorar com o envelhecimento. Assim sendo, se estiver a cuidar de idosos e detetar estes sintomas, deve informar imediatamente o seu médico, pois um diagnóstico precoce ajuda a tratar a doença de uma forma mais eficaz.

Quais são os fatores de risco para contrair a DPOC

A maioria das pessoas que está em risco de contrair a DPOC nunca ouviu falar desta doença, nem sabe o quão perigosa ela pode ser. Assim sendo, é fundamental conhecer os fatores de risco principais que mais contribuem para a contração desta patologia. São eles:

O tabaco

A DPOC ocorre com mais frequência nas pessoas com mais de 40 anos de idade e que partilham histórias de tabagismo superiores a 10 anos. O tabaco é, sem dúvida, a causa mais comum, inclusive é o principal responsável pela morte de 9 pessoas em 10 casos de DPOC.

A atividade profissional de risco respiratório comprovado

A DPOC também pode surgir nas pessoas que têm uma exposição prolongada a determinados produtos químicos, gases nocivos, fumos e poeiras no seu local de trabalho. A longo prazo, esta exposição irrita os pulmões e é um dos fatores que mais contribui para o desenvolvimento da doença.

Os fatores genéticos

Em algumas pessoas, a DPOC é causada por uma condição genética conhecida como deficiência de alfa1-antitripsnina. As pessoas que possuem esta deficiência podem desenvolver naturalmente a DPOC, independentemente de fumarem e frequentarem ambientes nocivos ou não.

A tosse crónica

Quando um idoso tem uma tosse crónica, falta de ar, dispneia de esforço (dificuldade em respirar) e muita expetoração, é sinal que poderá sofrer de DPOC. Para se certificar se sofre ou não desta doença, é necessário fazer um teste específico, chamado de espirometria. Trata-se de um exame que deteta a DPOC antes dos sintomas se tornarem mais graves. É um teste simples de respiração que mede a quantidade de ar que uma pessoa consegue expelir para fora dos pulmões e quanto tempo demora a fazê-lo.

Como prevenir a DPOC

À medida que o corpo envelhece, as pessoas idosas são mais suscetíveis de desenvolverem uma doença pulmonar. No entanto, existem várias ações que podem ser tomadas para prevenir a DPOC. Das mais importantes, destacam-se as seguintes:

Pare de fumar

Os fumadores devem parar imediatamente de fumar para proteger os seus pulmões. Ao fazerem-no, estarão a impedir o avançar da DPOC e a salvaguardar o seu estado geral de saúde.

Evite expor-se a produtos poluentes

Mantenha-se o mais afastado possível de tudo o que pode irritar os seus pulmões, como poeiras, fumos ou gases nocivos. Se detetar que a qualidade do ar exterior é fraca, opte por ficar confortavelmente instalado no interior da sua casa. É de realçar que também deve distanciar-se dos locais onde existe muito fumo de cigarro, uma vez que este é muito prejudicial para os seus pulmões.

Consulte o seu médico de família com regularidade

Faça consultas regulares com o seu médico de família, mesmo que se esteja a sentir bem. Realize uma lista de sintomas da sua respiração e pense em todos os passatempos ativos que já não consegue fazer devido à falta de ar. Por outro lado, leve uma lista com todos os fármacos que está a tomar para que não existam erros com os medicamentos.

Tome precauções contra a gripe

No inverno, deve afastar-se das multidões com o intuito de evitar a gripe. É uma boa ideia vacinar-se todos os anos contra o vírus da gripe, uma vez que ela pode causar inúmeros problemas nas pessoas que sofrem de DPOC. Também é aconselhável que recolha todas as informações junto do seu médico sobre a vacina contra a pneumonia.

A pneumonia

A pneumonia é uma infeção ou inflamação dos pulmões. Ela pode ser causada por vários microrganismos diferentes, incluindo vírus, bactérias, parasitas ou fungos. Trata-se de uma doença que pode ser fatal e afeta as pessoas de todas as idades, especialmente os mais idosos. Estima-se que mais de metade dos casos de pneumonia é causada pela formação de bactérias nos pulmões, sendo que o pneumococo é o mais frequente. Tenha em mente que, muitas vezes, a pneumonia evolui a partir de uma simples gripe ou constipação mal curada.

Porque é que os idosos são mais suscetíveis à pneumonia

A pneumonia é uma das principais causas de mortalidade entre as pessoas com mais de 65 anos de idade. Esta situação acontece porque os idosos são mais suscetíveis à pneumonia e isso acontece por várias razões:

Fragilidade

As pessoas mais idosas são mais frágeis do que os outros indivíduos. Uma pessoa com mais de 65 anos de idade não consegue limpar as secreções dos pulmões e estas tendem a ir para baixo dos brônquios, causando a infeção.

Sistemas imunitários enfraquecidos

As pessoas mais idosas tendem a ter sistemas imunológicos mais fracos e, portanto, não conseguem combater a pneumonia de uma forma tão eficaz. É de realçar que um sistema imunitário pode ficar deficitário devido ao transplante da medula óssea, quimioterapia (tratamento para o cancro) ou uso a longo prazo de esteroides.

Condições de saúde sénior

Os idosos são pessoas que podem sofrer de vários tipos de doenças, como a diabetes, a doença de Parkinson, cancros, entre outras, e todas elas aumentam as hipóteses de formar uma pneumonia. As pessoas com doenças pulmonares, como a DPOC, a asma e a fibrose cística, também estão em maior risco de contraírem a pneumonia.

Cirurgia

As pessoas idosas que foram recentemente submetidas a qualquer tipo de cirurgia têm mais hipóteses de sofrerem de pneumonia, porque é nestas alturas que estão mais fragilizadas.

Quais os sinais da pneumonia

Muitos idosos e cuidadores não conhecem todos os sinais que indicam uma pneumonia e, à conta disso, correm riscos desnecessários de saúde. Normalmente, as pessoas que sofrem de pneumonia apresentam os sinais seguintes:

  • Tosse
  • Febre
  • Calafrios
  • Falta de ar
  • Dores no peito
  • Expetoração verde ou amarela que aparece quando tosse
  • Sentimento letárgico
  • Uma gripe ou constipação recente que piorou

Como tratar a pneumonia

A pneumonia bacteriana deve ser tratada com antibióticos durante um período mínimo de 8 dias. No entanto, cada caso deve ser avaliado individualmente, uma vez que alguns pacientes podem precisar de internamento. Por outro lado, se a infeção for viral, o médico pode tratá-la com medicamentos antivirais.

Tenha em atenção que a medicação deve ser sempre respeitada até ao fim, independentemente de se sentir melhor, pois se a interromper, a pneumonia pode voltar e, geralmente, vem mais forte.

Outra forma de tratar a pneumonia passa por realizar a fisioterapia respiratória. Os fisioterapeutas utilizam exercícios respiratórios, vibradores no tórax e outro tipo de técnicas específicas para retirar as secreções que habitualmente estão no interior dos pulmões dos pacientes, o que agiliza a recuperação.

É fundamental que os cuidadores se certifiquem que as pessoas idosas fazem uma ingestão adequada de líquidos e uma dieta alimentar saudável, pois só assim é que conseguem recuperar corretamente de uma pneumonia.

A sua votação: 
Average: 4.9 (12 votos)