Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

A primeira vez que vai cuidar dos seus pais

Filha a cuidar da mãe nos passeios
Créditos Imagem

Cuidar de uma pessoa idosa é uma tarefa de grande responsabilidade e de muita coragem porque é preciso ser mentalmente forte para conseguir assistir ao sofrimento de quem se ama e, mesmo assim, manter a calma e a razoabilidade. Conheça como poderá correr a primeira vez que vai cuidar dos seus pais e aprenda a ser um ótimo cuidador.

Como ser cuidador de alguém

Normalmente, as pessoas adquirem o título de cuidador através de duas formas distintas: modo de deslocamento e modo de crise.

O modo de deslocamento

Muitas pessoas começam por cuidar de alguém como, por exemplo, os pais idosos ou um vizinho adoentado, ao deslocarem-se às suas casas quando eles mais precisam de auxílio. Existe uma infinidade de coisas que pode fazer para ajudar alguém mais idoso como, por exemplo, efetuar o pagamento das contas, falar e passear com eles. No entanto, este tipo de ajuda pode ser cada vez mais necessário durante o processo de envelhecimento, especialmente quando as pessoas idosas desenvolvem problemas de saúde que condicionam a sua mobilidade e independência. Nesta altura, tomar a decisão de ser cuidador de alguém é muito importante para o futuro e bem-estar de ambos. Pode tentar tratar de alguém e manter um emprego a tempo inteiro, no entanto, deve ter em atenção que ser cuidador é uma profissão desgastante que ocupa as 24 horas do dia e os idosos podem precisar de uma vigilância constante.

O modo de crise

Na vida podem surgir vários acontecimentos que fazem com que uma pessoa abrace a profissão de cuidador a 100%. Por exemplo, os pais idosos podem desenvolver algum problema de saúde, como um cancro ou uma doença cardíaca que os impeça de realizar as suas tarefas do dia-a-dia e isso vai fazer com que precisem da ajuda de uma terceira pessoa. Nestas circunstâncias, se tiver disponibilidade económica poderá contratar alguém para cuidar de idosos, caso contrário, poderá sentir-se na obrigação de ajudar e assumir as responsabilidades. Muitas vezes, é necessário prestar cuidados e ajudar os outros, mesmo antes de saber como prestar essa assistência.

Não importa como começou a desempenhar o seu papel de cuidador pela primeira vez, dado que o mais importante é auxiliar alguém que precisa da sua ajuda. Ao fazê-lo, estará a sentir-se bem consigo próprio, pois estará a dar uma nova oportunidade de viver com dignidade a quem certamente mais precisa.

A importância dos cuidadores no tratar de idosos

Atualmente, os cuidadores assumem um papel de extrema importância ao tratar de pais, familiares ou conhecidos idosos, pois auxiliam-nos em todo o tipo de tarefas diárias e ajudam-nos a manterem-se socialmente ativos. Os cuidadores têm a responsabilidade de zelarem pela boa alimentação de um idoso, pela sua higiene pessoal e pela gestão correta dos medicamentos. No entanto, também lhes fazem companhia para que eles não se sintam deprimidos ou isolados e incentivam-nos a fazerem exercício físico para terem uma melhor qualidade de vida.

Hoje em dia, os cuidadores são reconhecidos como técnicos profissionais de saúde e o seu trabalho é muito valorizado pelos médicos e/ou especialistas, nomeadamente quando existe a necessidade de analisar o historial clínico de um paciente. O diagnóstico inicial que é feito pelos cuidadores acerca de uma eventual perturbação que afete uma pessoa idosa é muito importante e, na maioria das vezes, é a solução do problema.

No entanto, não se deve esquecer que para cuidar de alguém, há que cuidar de si, pois só assim conseguirá cuidar corretamente de alguém dependente.

Alguns conselhos práticos para quem cuida

Existem alguns conselhos práticos que os cuidadores poderão colocar em prática de modo a facilitar o seu trabalho. São eles:

Estabelecer limites

Estabelecer limites nunca é fácil, principalmente, quando se está a cuidar de alguém que se ama. Contudo, é necessário fazê-lo para ser suficientemente forte em termos mentais. Caso não o faça, o cuidador pode ficar mais devastado e deprimido do que o próprio paciente.

O limite emocional é um aspeto muito importante para prestar a melhor assistência a um idoso, pois vai ajudar o cuidador a distinguir as suas próprias necessidades das da pessoa a ser cuidada. Por vezes, alguns tratamentos provocam sofrimento, mas precisam de ser feitos e é por isso que o cuidador deve manter uma certa frieza e distanciamento.

Ser flexível

Quando acontece uma crise com um idoso, é preciso estabelecer um plano de cuidados apropriado e para o conseguir é necessário que o cuidador seja flexível e que ajuste os seus próprios limites. Naturalmente, se a pessoa idosa sofrer um ataque cardíaco, o cuidador não pode dizer algo como “O meu turno já terminou”. É preciso garantir socorro ao paciente durante as 24 horas do dia e, caso seja necessário, pode solicitar ajuda externa.

Tipos de ajuda externa

Existem muitas associações e organizações públicas ou privadas que ajudam os cuidadores no cumprimento das suas funções. Das mais conhecidas, destacam-se as seguintes:

  • As organizações religiosas que oferecem a ajuda de pessoas para fazer companhia aos idosos. Trata-se de uma forma de os manter ocupados e ativos e de ganhar algum tempo livre para a realização de outras tarefas.
  • Os programas de apoio aos cuidadores que dão resposta às principais dúvidas ou questões dos cuidadores.
  • Os grupos de apoio online. Na Internet, existem vários portais temáticos e comunidades de apoio que dão os melhores conselhos e dicas para os cuidadores desempenharem as suas funções. 
  • As associações de doenças, como a doença de Alzheimer ou a doença de Parkinson, oferecem os seus serviços para responder a muitas das perguntas dos cuidadores.
  • O hospital local e as casas de enfermagem também têm listas de grupos de apoio que um cuidador poderá consultar. Ao fazê-lo, conseguirá obter todo o tipo de ajuda para cuidar corretamente de um idoso.
A sua votação: 
Average: 3.5 (2 votos)