Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Luta contra o cancro da mama: a prevenção não tem idade

Tronco de mulher
Créditos Imagem

No que toca a prevenir o cancro da mama, nunca é demais relembrar quais os cuidados a ter em conta, quais os sinais a que se devem estar particularmente atentos e como proceder no caso de um diagnóstico positivo… isto porque, a prevenção não tem idade!

Como prevenir o cancro da mama?

A luta contra o cancro da mama passa, cada vez mais, pela prevenção e está nas nossas mãos os cuidados que podem determinar um diagnóstico negativo face a um diagnóstico positivo. Tenha particular atenção à seguinte lista de cuidados fundamentais:

  • Fazer exercício regularmente.
  • Manter um peso saudável e uma dieta variada, rica em frutos e vegetais.
  • Beber com moderação e não fumar.
  • Conhecer bem a sua mama e estar atenta a eventuais alterações da mesma. Estar vigilante mesmo entre mamografias.
  • Fazer um exame clínico da mama, uma vez por ano. A mamografia é a forma mais segura de se detetar o cancro da mama de forma precoce.
  • Inscrever-se no Programa de Rastreio do Cancro da Mama (no caso de ter menos de 45 anos ou de viver numa área ainda não abrangida pelo rastreio, pedir ao seu médico para fazer uma mamografia regularmente a partir dos 45 anos).
  • Se tem fatores de risco como, por exemplo, história familiar, deve consultar o seu médico o quanto antes, pois pode ter de iniciar a prevenção antes dos 40 anos.

Quais os sinais de alerta do cancro da mama?

A prevenção não tem idade e, no que toca ao cancro da mama, a prevenção também passa por estar vigilante, ou seja, é crucial conhecer bem as suas mamas em termos de aparência e volume, saber bem em que alturas estas se modificam, para poder detetar, de imediato, qualquer anormalidade, nomeadamente:

  • Mudanças na forma ou no tamanho da mama
  • Um novo caroço ou espessamento numa mama ou axila
  • Qualquer franzido ou enrugamento, ondulação ou vermelhidão
  • Mudanças na posição do mamilo, uma alergia ou corrimento do mamilo (secreção mamilar)
  • Dor ou desconforto que é novidade para si e que sente só num lado

Quer tenha a certeza, quer tenha apenas uma suspeita que algo não está bem, deve marcar, de imediato, uma consulta com o seu médico – o diagnóstico precoce pode salvar a sua vida!

Tenho alguma coisa na mama… e agora?

Sentiu alguma coisa fora do normal na mama? A sua mamografia anual detetou alguma coisa? E agora? Saiba que a maioria dos nódulos descobertos no auto exame da mama são benignos (mais de 80%), uma vez que nas mulheres jovens, a maior parte dos nódulos devem-se a fibroadenomas (nódulo sólido benigno). Já a partir dos 40 anos, a grande maioria dos nódulos são devidos a formações quísticas (de constituição líquida), quase sempre benignas. No entanto, é igualmente importante relembrar que o nódulo na mama é o sinal mais frequente de cancro, em mais de 75% dos casos. O que significa tudo isto? Deve, sem alarmismos, recorrer ao seu médico para esclarecer a situação. Nos últimos anos, a capacidade diagnóstica aumentou de forma incrível e, por isso mesmo, nem sempre é necessário retirar o nódulo para ter a certeza do que se trata. As mamografias, ecografias e biopsias associadas ao exame clínico dão a certeza em mais de 99% dos casos. Mesmo assim, existe a crença que ao retirarem os nódulos, diminuiu-se o risco de cancro da mama, pois assim a possibilidade de estes se tornarem malignos desaparece.  Em grande parte dos casos, isto não é verdade: a maioria dos nódulos benignos da mama não se torna maligno, o que significa que não deve precipitar-se, ou seja, marcar uma cirurgia para retirar nódulos da mama sem saber exatamente do que se trata. Procure um médico com o qual se sinta confortável e bem informada antes de tomar qualquer tipo de decisão.

Para mais informação, consulte a Associação Laço.

A sua votação: 
Average: 5 (1 voto)