Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Como é que o envelhecimento afeta a saúde sexual

Homem e mulher sorridentes
Créditos Imagem

As possibilidades de sofrer um ataque cardíaco durante o ato sexual são exatamente iguais ao ato de se levantar da cama ou de sair à rua. Saiba como é que o envelhecimento afeta a saúde sexual com o passar da idade e continue a desfrutar ao máximo da sua libido.

A sexualidade na terceira idade

A atividade sexual representa menos de 1% dos ataques cardíacos na terceira idade e os que estão relacionados com sexo provêm de casos de infidelidade, quando os níveis de stress e de adrenalina atingem o máximo.

A sexualidade na terceira idade é assim um tema delicado para ser discutido com pais idosos ou com outras pessoas reformadas, uma vez que a sociedade atual tende a desvalorizar e a menosprezar a vida sexual das pessoas mais idosas. Este exemplo está presente no cinema e na televisão, onde o homem mais velho é uma personagem cómica que fantasia e persegue uma jovem rapariga, ao passo que a mulher mais idosa vive uma paixão avassaladora com uma pessoa mais jovem e sem rugas.

O sexo não é apenas uma atividade para os mais jovens. De acordo com estudos recentes, quase metade das pessoas com mais de 65 anos de idade mantêm relações sexuais com os seus parceiros pelo menos uma vez por mês. Além do mais, o sexo pode melhorar com a idade, pois, segundo os especialistas, a quantidade dá lugar à qualidade.

Envelhecimento vs Sexo

A ideia de que as pessoas perdem as suas habilidades sexuais à medida que o corpo envelhece é pura ilusão. Com o envelhecimento, tanto os homens como as mulheres sofrem alterações ao nível da excitação e da atividade sexual e o sexo, assim como várias outras atividades, torna-se menos necessário com o passar dos anos, apesar do prazer e da satisfação serem os mesmos.

É de realçar que a maioria dos casais mais idosos não se encontram em clima de romance constante como quando eram jovens e não dedicam tanto tempo aos preliminares e à troca de carícias, o que prejudica a excitação.

A saúde sexual dos homens

Atualmente, muitos homens sofrem de disfunção erétil, uma incapacidade sexual peniana e a prova disso mesmo é a quantidade de anúncios publicitários dedicados ao tema que passa na televisão, especialmente quando são emitidos programas desportivos.

Os homens seniores precisam de aguardar mais tempo para conseguirem uma ereção e esta, geralmente, não é tão rígida e vigorosa como quando eram mais jovens. Por outro lado, a segunda ereção é uma hipótese que demora ainda mais tempo a concretizar-se.

A saúde sexual das mulheres

As mulheres idosas também precisam de mais tempo para ficarem excitadas e, devido à menopausa, as mudanças que ocorrem nos órgãos reprodutores podem, por vezes, tornar o sexo doloroso. Estas alterações incluem uma determinada secura vaginal e uma capacidade reduzida de elasticidade da vagina.

De certa forma, a menopausa representa uma montanha russa de emoções e flutuações hormonais, o que pode conduzir à queda do desejo sexual nas mulheres. Quando o corpo deixa de produzir estrogénio, as mulheres sofrem ondas de calor, dores de cabeça e fadiga, entre outros sintomas, o que a deixa sem vontade de ter relações sexuais.

Em ambos os sexos, o segredo para uma libido ativa é a testosterona, que tem tendência a diminuir com o passar do tempo nos homens e com a menopausa nas mulheres. À medida que os níveis desta hormona vão descendo, as alterações de humor e a diminuição da excitação e de energia sucedem-se, tanto nos homens como nas mulheres.

A condição emocional

Como em qualquer idade, o desejo sexual e a excitação podem ser afetados pelo estado emocional, disfunção erétil ou por uma libido enfraquecida, provocada pelo stress ou depressão. Estes sentimentos podem ser exacerbados pelas imagens culturais da sexualidade que são hoje apresentadas na televisão – ao visualizar pessoas jovens, elegantes, sensuais e saudáveis, um idoso pode ter dificuldades em lidar com o seu corpo e sentir-se desejado. E o que pode ser uma experiência única de disfunção erétil, pode transformar-se num problema recorrente se o homem ficar envergonhado ou frustrado e a mulher julgar que já não se sente atraente.

A condição física

O desejo sexual e a excitação também podem ser afetados pela vertente física de um idoso. O cancro da próstata, do útero e da mama podem afetar a sua sexualidade, assim como as doenças cardíacas, a diabetes e a artrite reumatoide. É de realçar que os medicamentos de um sénior, como os antidepressivos, os bloqueadores, os diuréticos, entre outros, também desempenham um papel muito importante na saúde sexual, pois condicionam a sua prestação.

Como é que os idosos podem ter uma vida sexual ativa

O sexo é uma atividade para todas as idades e os idosos não são exceção. Para que tenha uma vida sexual ativa, é necessário cumprir com os aspetos seguintes:

Comunique com o seu parceiro

Uma das maiores qualidades de um idoso é a comunicação e, para que a sua vida sexual se mantenha excitante, deve conversar e dialogar com o seu parceiro sobre aquilo que gosta e que considera ser vital para um relacionamento sexual saudável.

Mantenha o pensamento positivo em relação ao sexo

Ao manter o pensamento positivo em relação ao sexo, estará a afastar “fantasmas” negativos sobre a sua capacidade sexual ou aparência física. Não deixe que os problemas financeiros, familiares ou sociais que o possam estar a afetar intervenham na sua vida sexual e aproveite o momento ao máximo.

Faça exercício físico

Uma maneira de aumentar a sua confiança sexual passa por realizar exercício físico com regularidade. Vai sentir-se melhor consigo próprio e com a sua aparência. Além disso, o exercício físico é o segredo para um envelhecimento cardíaco saudável, pois permite melhorar o fluxo sanguíneo durante a relação sexual.

Adquira auxiliares de disfunção erétil

Se sofre de disfunção erétil pode adquirir medicamentos como o Viagra, Levitra e Cialis, que o vão ajudar a recuperar a ereção e o vigor do seu pénis. Por outro lado, se preferir, também pode levar injeções penianas para manter a sua vida sexual ativa.

Fale com um médico ou terapeuta sexual

Se nada estiver a funcionar, a melhor solução passa por conversar com um médico ou com um terapeuta sexual. Os problemas sexuais não são muitas vezes tratados porque as pessoas sentem vergonha em falar deles, especialmente quando entram nas idades mais avançadas. Não tenha vergonha e viva a vida feliz!

A sua votação: 
Average: 4.6 (14 votos)