Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Como funciona o processo de envelhecimento

Créditos Imagem

O processo de envelhecimento é um ato contínuo de mudança ao nível anatómico, cardiovascular, gastronómico, imunológico e metabólico. Saiba como funciona o processo de envelhecimento e aprenda a ter uma vida saudável e equilibrada.

Os efeitos anatómicos do envelhecimento

Os ossos

A constituição dos ossos é enganadora porque, embora do lado de fora possam parecer rígidos e bem conservados, isso não quer dizer que sejam fortes. O seu bom estado só pode ser verificável através da observação dos seus movimentos.

Com o passar do tempo, uma pessoa perde mais osso do que aquele que, efetivamente, constrói. Assim, os ossos tornam-se mais finos e suscetíveis de sofrerem fraturas. Este processo é muito frequente e mais acelerado nas pessoas idosas, o que faz com que sofram de problemas de osteoporose, uma doença de perda óssea progressiva.

O problema da osteoporose

A osteoporose enfraquece os ossos ao ponto de surgirem fraturas com uma maior facilidade. O ato de tossir, puxar a porta de um armário e cair, podem causar fraturas graves nas pessoas que sofrem desta doença. Para estar prevenido contra a osteoporose, é necessário conhecer os aspetos que conduzem ao seu desenvolvimento. São eles:

A genética

A genética desempenha um papel importante no desenvolvimento da osteoporose, uma vez que as mulheres caucasianas e asiáticas são mais propensas a desenvolver esta doença, que também pode ser do foro hereditário.

A menopausa

A menopausa é também um dos fatores que mais contribui para a perda óssea e ocorre com mais frequência nas mulheres que já a têm há mais de 5 anos.

Os maus hábitos

O tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas também contribuem para a perda óssea, assim como um estilo de vida sedentário e a ingestão inapropriada de cálcio e vitamina D.

Alguns medicamentos

Certos medicamentos, como a cortisona e a colestiramina, também aceleram a perda óssea. Como tal, é necessário gerir corretamente os medicamentos de um idoso para que ele possa ter uma vida equilibrada e saudável.

Os músculos

O envelhecimento provoca uma diminuição da força, tamanho e resistência muscular, devido à diminuição do fluxo sanguíneo para o tecido muscular. Estas alterações fazem com que uma pessoa se sinta mais frágil e enfraquecida, o que conduz ao sedentarismo e à falta de exercício físico.

É de realçar que a partir dos 50 e até aos 80 anos de idade, as pessoas perdem cerca de 2 cm de altura. Esta situação acontece devido ao enfraquecimento dos músculos, às alterações posturais e à deterioração dos discos que separam as vértebras na espinha dorsal, causando uma compressão da coluna vertebral.

As articulações

Com o passar do tempo, as articulações ficam menos resistentes ao desgaste. Isso acontece devido às mudanças que ocorrem na cartilagem, o tecido que amortece as extremidades dos ossos nas suas articulações. À medida que o corpo envelhece, a cartilagem vai perdendo líquido e isso faz com que ela fique mais vulnerável e suscetível às lesões causadas pelo stress e pelos movimentos repetitivos. A artrite reumatoide é provocada pelo desgaste das articulações, pois é uma doença crónica, caracterizada pela inflamação das articulações e afeta principalmente as pessoas mais idosas.

É de salientar que a osteoartrite é a forma mais comum de artrite e esta afeta os joelhos, os quadris, a coluna e as mãos. Tenha em mente que o exercício físico regular ajuda a reduzir a dor articular e rigidez, aumentando a flexibilidade, força muscular e resistência.

A pele

A pele é composta por duas camadas principais: a epiderme (camada exterior) e a derme (camada interior). Um dos sinais mais evidentes do envelhecimento está relacionado com o aparecimento das rugas na epiderme. Elas desenvolvem-se devido a uma perda natural de colagénio, uma proteína que mantém as células unidas e que é essencial para uma pele saudável e bonita.

A exposição solar nas horas de maior calor é também uma das principais causas para o desenvolvimento de rugas. Na verdade, o sol é muito perigoso e uma exposição solar excessiva pode provocar o cancro da pele. Utilize sempre protetores solares com fator de proteção elevado (≥ 30) e não se esqueça de proteger convenientemente a cabeça e os olhos.

Com o passar do tempo, a pele fica mais fina, frágil e menos elástica, o que provoca feridas e lacerações com mais facilidade e demoram mais tempo a curar. À medida que a pele fica mais fina, aumenta a sua vulnerabilidade à infeção.

No entanto, muitas pesquisas demonstram que o exercício físico regular, como os exercícios aquáticos, os exercícios de fitness e os exercícios de ioga ajudam a manter os ossos, os músculos, as articulações e a pele mais fortes, mesmo nas pessoas mais idosas.

Os efeitos cardiovasculares do envelhecimento

O envelhecimento traz consigo muitos efeitos cardiovasculares, como por exemplo: uma maior rigidez da parede torácica, diminuição da fluidez do sangue que provém dos pulmões e redução da força do batimento cardíaco. Por outro lado, o coração é obrigado a bombear mais sangue por batimento, de forma a compensar uma diminuição da frequência cardíaca.

As pessoas idosas demoram mais tempo a recuperarem do stress, de um choque ou de uma surpresa, pois o seu corpo regressa de uma forma mais lenta à frequência cardíaca e à pressão arterial normal.

O problema do colesterol

O colesterol é uma gordura essencial para o bom funcionamento do corpo humano e produz hormonas, vitamina D e substâncias que ajudam a digerir os alimentos. No entanto, o organismo humano precisa apenas de uma pequena quantidade de colesterol para satisfazer as suas necessidades. Se os níveis de colesterol forem muito elevados, existem muitas possibilidades de ocorrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou um ataque cardíaco.

As lipoproteínas de baixa densidade (LDL), conhecidas como “mau” colesterol, depositam-se nas paredes das artérias e impedem a correta circulação de sangue. Para que isto não aconteça, é necessário seguir uma dieta saudável e equilibrada e fazer muito exercício físico.

Entre 40 a 50% das pessoas com mais de 65 anos de idade têm uma pressão arterial elevada e os cientistas não sabem bem o porquê disso acontecer. Estima-se que a diminuição da elasticidade dos vasos sanguíneos é uma das principais causas, mas o estilo de vida também tem um papel decisivo.

Os efeitos gastronómicos do envelhecimento

A sua boca não faz parte do sistema gastrointestinal mas, na verdade, é um ótimo ponto de partida para realizar uma alimentação correta. O ato de mastigar permite absorver os nutrientes principais de uma refeição e facilita a tarefa dos ácidos estomacais e das enzimas intestinais durante o processo da digestão.

Com o envelhecimento, as pessoas mastigam mais devagar, especialmente se utilizam próteses dentárias ou se os dentes estão mais fracos. Assim, as pessoas podem ficar mais vulneráveis aos efeitos da asfixia. Para que tal não aconteça, é necessário mastigar bem os alimentos e engolir pequenos pedaços de comida de cada vez.

A má alimentação e o envelhecimento

Uma má alimentação tem efeitos nocivos para a saúde de uma pessoa e é um dos principais indicadores do envelhecimento. Dos efeitos principais que a má nutrição provoca, destacam-se os seguintes:

  • Desenvolvimento de cálculos biliares devido ao estreitamento do ducto biliar na abertura do intestino.
  • Uma menor produção de lactase, a enzima digestiva que decompõe o carboidrato em produtos lácteos, conhecidos como lactose.
  • Um intestino desregulado. Com o passar do tempo, o intestino, nomeadamente o cólon, fica mais lento e menos tonificado. Uma em cada três pessoas com mais de 60 anos de idade tem divertículos, uma espécie de protuberância na mucosa do intestino grosso. Estas bolsas resultam do aumento da pressão interna do intestino e é causada pela diminuição da tonificação dos músculos.
  • A diminuição do fígado. O fígado é o maior órgão interno e pesa cerca de 3 quilogramas, no entanto, a partir dos 50 anos de idade e devido à má alimentação, ele começa a diminuir.

O fígado é um dos órgãos mais importantes do corpo humano e é impossível viver sem ele, mas, a maioria das pessoas não sabe o porquê dele ser tão importante. Ele é fundamental porque:

      • Ajuda a digerir a gordura
      • Ajuda a determinar a quantidade de nutrientes que são enviados para o resto do corpo
      • Armazena o glicogénio, um carboidrato complexo, converte-o em açúcar e liberta-o na corrente sanguínea
      • Sintetiza muitas proteínas
      • Processa e digere medicamentos que foram absorvidos pelo sistema digestivo
      • Liberta o corpo de substâncias tóxicas, tais como os resíduos de produtos em decomposição, medicamentos e bebidas alcoólicas.
  • O aparecimento de úlceras. Trata-se de feridas ou buracos no revestimento do estômago ou duodeno, uma parte do intestino delgado. Elas causam dor quando o estômago está vazio, nomeadamente entre as refeições e nas primeiras horas da manha, mas a irritação pode vir a qualquer momento.
  • Um mau funcionamento dos rins. Todo o sangue do corpo é constantemente filtrado pelos rins, o que vai determinar os elementos a manter e aqueles que são eliminados através da urina. Para que os seus rins estejam sempre em bom funcionamento, é aconselhável que beba muitos líquidos, controle a hipertensão arterial e mantenha os níveis de glicose do sangue sob controlo.

Os efeitos imunológicos do envelhecimento

O sistema imunológico é como que um enorme exército de intervenção que está pronto a defender o corpo humano ao longo das 24 horas de um dia. Eles têm glóbulos brancos e anticorpos específicos que protegem o corpo de uma forma exclusiva contra a investida de possíveis invasores, como as bactérias, vírus, fungos e parasitas. Porém, o envelhecimento diminui a produção de glóbulos brancos e anticorpos, o que significa que o sistema imunológico poderá não responder de uma forma tão eficaz contra as eventuais ameaças que possam surgir.

Por outro lado, é de realçar que o envelhecimento traz consigo mudanças corporais subtis que podem confundir o sistema imunológico. Essa confusão faz com que o corpo produza anticorpos contra si mesmo, pois considera que as suas próprias células são uma ameaça ao seu bem-estar. As doenças autoimunes, como a artrite reumatoide e o lúpus são disso o exemplo máximo.

Os efeitos metabólicos do envelhecimento

Saber como e porque é que o corpo muda com a idade, vai ajudá-lo a cuidar melhor das suas células, tecidos e órgãos vitais. Este autoconhecimento é também muito benéfico para controlar o seu peso e para impedir o desenvolvimento de doenças como a diabetes, problemas de visão e de audição que surgem com o avançar da idade.

Tenha em atenção que depois dos 60 anos de idade, o corpo precisa de uma dieta saudável para manter o seu peso e uma boa saúde. Se estiver acima do peso ideal, é fundamental que perca peso para ter uma vida com mais qualidade. Também é de realçar que o aparecimento da menopausa nas mulheres significa ganhar mais peso e isso deve ser corretamente controlado para impedir o armazenamento de gordura extra na zona do abdómen. O excesso de peso aumenta as hipóteses de desenvolver determinados tipos de cancro e também agrava a artrite nos seus joelhos e quadris.

É de realçar que as pessoas idosas com um estilo de vida ativo e que praticam muito exercício físico apresentam um metabolismo mais dinâmico e isso permite-lhes ter uma vida mais relaxada e saudável.

A sua votação: 
Average: 4.1 (8 votos)