Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Como exercitar o cérebro e manter a jovialidade

Créditos Imagem

O envelhecimento do corpo, a reforma e a monotonia da rotina diária fazem com que as pessoas mais idosas possam ficar com o cérebro mais cansado e até um pouco preguiçoso. Saiba como exercitar o cérebro e mantenha a sua memória intacta e de boa saúde.

O estado da memória com o passar da idade

À medida que a idade avança e o corpo envelhece, a memória de uma pessoa tende a ficar mais fraca e imprecisa, o que a pode, por vezes, impedir de realizar as tarefas mais básicas do dia-a-dia, como ir às compras, pagar as contas ou faltar a determinados compromissos. No entanto, se a perda de memória for permanente, isso poderá ser um sintoma de demência.

Existem vários sinais que lhe indicam em que estado se encontra a memória:

Sinais de envelhecimento normal

  • Precisa de fazer uma pausa momentânea para se lembrar de algo que lhe é familiar como, por exemplo: encontrar o caminho a pé ou de carro para casa, lembrar-se do que fez no dia anterior ou dos nomes dos familiares ou amigos.
  • Fica mais preocupado com as suas perdas de memória do que a restante família.

Sinais de demência

  • Com o passar da idade perde muito tempo para se tentar lembrar de algo que lhe é próximo e, na maioria das vezes, acaba por não o conseguir. Esta forma de perda de memória está muitas vezes associada à doença de Alzheimer ou a um AVC que destruiu as células cerebrais.
  • Os membros da família ficam mais preocupados do que propriamente a pessoa acerca dos seus incidentes de perda de memória.
  • Além da perda de memória, os sinais de demência apresentam outros sintomas, como por exemplo: alterações de humor e de personalidade, desorientação, dificuldades de comunicação, falta de raciocínio, negligência da higiene pessoal, isolamento e depressão.

Como exercitar o cérebro na terceira idade

A perda normal de células cerebrais e o declínio do fluxo sanguíneo entre os neurónios do cérebro podem ser os responsáveis principais pelas falhas na memória, inteligência e aprendizagem de uma pessoa. Porém, podem ser tomadas algumas medidas para exercitar o cérebro de um sénior. Das mais importantes, destacam-se as seguintes:

Faça exercício

A aptidão física acompanha frequentemente a aptidão mental. Existem várias atividades para idosos que garantem uma vida mais saudável e equilibrada, como o ioga, a natação, a dança, a ginástica, entre outros.

Continue a aprender

A aprendizagem de algo novo faz com que a sua mente esteja sempre em funcionamento. É aconselhável que os seniores leiam com regularidade, tenham vários passatempos ativos, façam palavras cruzadas ou outros jogos desafiadores para que a mente esteja constantemente ocupada e produtiva.

Não fume

Estudos recentes afirmam que os fumadores esquecem-se mais rapidamente dos nomes e dos rostos dos amigos e familiares do que os não-fumadores.

Siga uma dieta saudável

Ao adotar uma dieta saudável, estará a garantir uma alimentação correta e adequada.

Durma o suficiente

Com a idade gasta-se mais rapidamente as energias e, como tal, precisa-se de dormir cerca de 8 horas por dia para conseguir recuperar a totalidade das forças.

Tome vitaminas C e E

As vitaminas C e E são conhecidas por fortalecerem a memória e podem proteger o cérebro dos idosos de algumas formas de demência. Contudo, isso não significa que possam acontecer eventuais perdas de memória que, normalmente, estão relacionadas com a idade.

Mantenha as relações sociais

Uma das melhores formas para exercitar a memória passa por manter-se socialmente ativo. Assim, conseguirá promover o convívio social e estreitar laços de amizade com outras pessoas, o que lhe vai permitir manter a sua mente sã e ocupada.

Como manter o cérebro em forma

Para todas as pessoas que temem o envelhecimento e receiam perder a memória, existem alguns passos que devem ser realizados para manter o cérebro em forma. Dos mais evidentes, destacam-se os três seguintes:

  1. Manter uma dieta mediterrânea com muitas frutas, vegetais e nozes. Deve ser rica em gorduras saudáveis (azeite), ter carboidratos de baixo indicie glicémico (alho e cebola) e peixes de água fria (salmão e linguado). Este tipo de alimentação é o mais eficaz, pois ajuda a proteger o cérebro e o coração.
  2. Ingerir novos suplementos no seu regime alimentar, nomeadamente vitaminas ricas em proteínas, acetilcisteína, vitamina do complexo B, acetil-L-carnitina, entre outros.
  3. Consultar o seu médico de família com regularidade com o intuito de conhecer a existência de novos medicamentos que diminuam os bloqueios e perdas de memória.
A sua votação: 
Average: 4.4 (16 votos)