Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Como cuidar de alguém com diabetes

Mulher a sorrir
Créditos Imagem

A diabetes é uma doença que não tem cura e está relacionada com os níveis excessivos de açúcar que estão presentes no sistema de circulação sanguíneo. Saiba como cuidar corretamente de alguém com diabetes e faça com que essa pessoa tenha uma maior qualidade de vida.

O que é a diabetes?

A diabetes é uma doença crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose que acompanha os alimentos. À quantidade de glicose no sangue chama-se glicemia e quando esta aumenta diz-se que um paciente está com hiperglicemia. Para combater os níveis excessivos de açúcar, o pâncreas é o órgão do corpo humano responsável pela produção de insulina que é uma hormona que ajuda a controlar os níveis de açúcar existentes no sangue.
A pouca produção de insulina, a resistência à insulina, ou ambas, fazem com que a glicose se acumule no sangue e, portanto, não cumpra o seu papel como principal fonte de energia para o organismo. No caso de um idoso, este mau funcionamento pode ser fatal e é por isso que se devem ter todos os cuidados para controlar da melhor forma a diabetes.

Os tipos de diabetes

Para controlar e vigiar as diabetes é necessário conhecer quais os tipos de diabetes que existem. Destacam-se três tipos:

Diabetes do tipo 1: este tipo de diabetes atinge na maioria das vezes crianças ou jovens, podendo também aparecer em adultos e até em idosos. Na diabetes do tipo 1, o pâncreas deixa de produzir insulina, uma vez que existe uma destruição maciça das células produtoras de insulina. Nesse sentido, todos os diabéticos do tipo 1 necessitam de tratamento com insulina para toda a vida porque o pâncreas deixa de a poder produzir.

Diabetes do tipo 2: é o tipo de diabetes mais comum (90% dos casos) e ocorre, por norma, na idade adulta. Este tipo de diabetes é cada vez mais vulgar devido ao aumento da obesidade, à falta de exercício, stress, tensão arterial elevada e também ocorre em indivíduos que herdaram uma tendência para a diabetes de algum familiar. Na diabetes tipo 2 o pâncreas é capaz de produzir insulina, contudo, a alimentação incorreta e a vida sedentária, com pouco ou nenhum exercício físico, tornam o organismo resistente à ação da insulina (insulinorresistência), obrigando o pâncreas a trabalhar mais, até que a insulina que produz deixa de ser suficiente.

Diabetes gestacional: é a glicose alta que se desenvolve durante o período da gravidez. É de realçar que quase metade das grávidas com diabetes virão a ser, mais tarde, pessoas com diabetes do tipo 2 se não forem tomadas medidas de prevenção.

Os sintomas das diabetes

Existem determinados sintomas nas diabetes do tipo 1 e 2 que as pessoas têm e que indiciam o aparecimento/desenvolvimento da diabetes.

Nas Diabetes do tipo 1, os sintomas são muito nítidos e manifestam-se de uma maneira súbita. São eles:

  • Urinar muito e muitas vezes, podendo até voltar a urinar na cama;
  • Ter muita sede;
  • Emagrecer rapidamente;
  • Grande fadiga, associada a dores musculares intensas;
  • Comer muito sem nada aproveitar;
  • Dores de cabeça, náuseas e vómitos.

Nas Diabetes do tipo 2, os pacientes apresentam os sintomas seguintes:

  • Urinar em grande quantidade e muitas mais vezes, especialmente durante a noite (poliúria);
  • Sede constante e intensa (polidipsia);
  • Fome constante e difícil de saciar (polifagia);
  • Fadiga, associada a muitas dores musculares;
  • Comichão (prurido) no corpo, designadamente nos órgãos genitais;
  • Visão turva.

Contudo, é de destacar que as diabetes do tipo 2 vão-se desenvolvendo ao longo do tempo e podem existir determinados sintomas que não são percetíveis a olho nu. Nesse sentido, fale com o seu médico de família e realize vários exames ao sangue e à urina para um melhor diagnóstico.

Cuidar de alguém com diabetes

Não há atualmente nenhuma cura para a diabetes, de modo que a doença é apenas controlada e vigiada. Se está a cuidar de alguém com diabetes, deve ter especial atenção aos aspetos seguintes para que os níveis de açúcar se mantenham sempre estabilizados:

Estar atento à idade do diabético

As pessoas idosas têm uma maior probabilidade de ter açúcar no sangue, porque as alterações da função renal e hepática, a perda de peso e as alterações de apetite conduzem à falta de exercício físico e à má alimentação e isso são fatores decisivos que agravam o estado da diabetes.

O tratamento deve ser escolhido com base nas necessidades individuais de cada paciente. É necessário verificar se existem outros problemas de saúde, como doenças psiquiátricas ou sintomas de demência, pois se assim for, o cuidar dos diabetes necessitará de um acompanhamento mais especializado.

Verificar constantemente os níveis de açúcar no sangue

Um diabético deve vigiar constantemente os níveis de açúcar que tem no sangue, pois uma pessoa é diabética se:

  • tiver uma glicemia ocasional de 200 miligramas por decilitro ou superior;
  • se tiver uma glicemia em jejum (oito horas) de 126 miligramas por decilitro ou superior em duas ocasiões, separadas num curto espaço de tempo.

Todos os diabéticos devem manter o açúcar (glicose) no sangue o mais próximo possível dos valores considerados normais (bom controlo da diabetes) para que se sintam bem física e psicologicamente e sem nenhum sintoma da doença.

Incentivar a prática de exercício físico

O exercício físico é a melhor receita para obter uma saúde de ferro e, no caso dos diabéticos, permite eliminar as gorduras em excesso e melhorar a hipertensão. A prática do exercício físico regular e a consequente redução de peso ajudam a estabilizar o controlo do nível de glicose no sangue.

Não deixar o diabético fumar

Todos os diabéticos devem reduzir os fatores de risco cardiovasculares e, nesse aspeto, a cessação do tabaco é fundamental. Ao deixar de fumar, existe claramente uma melhoria incondicional do funcionamento de todos os órgãos do corpo humano e isso é fundamental nos diabéticos.

Cuidar dos pés dos diabéticos

Os cuidados de uma podologia regular são essenciais. Muitos diabéticos têm uma sensação diminuída nas mãos e pés e isso condiciona o seu estado de saúde. Por vezes, pequenos cortes e escoriações nos pés passam despercebidas e essas feridas podem ficar infetadas. Os pacientes idosos são particularmente vulneráveis neste ponto e podem não ter a condição física desejada para tratar dos seus próprios pés. É por isso que é fundamental cuidar dos pés dos diabéticos e fazer com que eles sejam examinados pelo menos a cada três meses por um profissional.

Prestar atenção às fontes escondidas de açúcar

Muitos idosos tomam uma medicação errada numa base regular e fazem-no sem saberem. Por exemplo, existem determinados xaropes para a tosse que têm altas concentrações de açúcar e isso pode ser fatal para uma pessoa diabética. Deve perguntar ao seu médico se existem xaropes para a tosse com baixos níveis de açúcar e também deve estar particularmente atento aos suplementos vitamínicos – utilize somente aqueles que foram criados especialmente para diabéticos, pois têm as doses de açúcar mais adequadas.

Manter o boletim de vacinas atualizado

As pessoas diabéticas são as mais vulneráveis a todo o tipo de infeções. É obrigatório, se não existirem complicações de saúde ou alergias, que uma pessoa idosa com diabetes seja vacinada contra a Pneumonia, Gripe, Diferia e Tétano.

Efetuar exames oftalmológicos com regularidade

O alto nível de açúcar no sangue pode afetar os pequenos vasos sanguíneos nos olhos e, no caso dos idosos, pode conduzir à perda parcial da visão e, consequentemente, às quedas. Para que tal não aconteça deve consultar um oftalmologista com regularidade, pois ele pode diagnosticar e tratar esse tipo de problemas.

Fazer com que um diabético seja acompanhado por um nutricionista

Um nutricionista é uma pessoa muito importante para um diabético, pois ajuda-o a preparar e a planear as melhores refeições diabéticas e auxilia-o na realização de uma dieta saudável e eficaz.

A sua votação: 
Average: 4.3 (73 votos)