Iniciar sessão

Votação

A pessoa de quem cuida está acamada?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

7 formas de proteger os idosos do frio do inverno

Créditos Imagem

As temperaturas mais baixas, a queda de precipitação, as rajadas de ventos fortes e a formação de gelo e até de neve podem ser um problema para os idosos e para os seus cuidadores durante os meses mais frios de inverno. Conheça 7 formas de proteger os idosos do frio do inverno e proteja o seu conforto e bem-estar.

Os idosos, a par das crianças, são as pessoas que mais sofrem com a chegada da estação mais fria do ano: o inverno. Para os proteger da melhor maneira possível, e para os manter em segurança, é necessário prestar a máxima atenção aos aspetos seguintes:

1. A hipotermia

Todos os anos, com a chegada do inverno, falecem inúmeras pessoas devido à hipotermia – metade delas tem mais de 65 anos de idade. As pessoas idosas são mais suscetíveis de sofrerem de hipotermia porque, geralmente, têm menos gordura, uma menor circulação sanguínea e um metabolismo mais lento. Mesmo no interior da sua própria casa, o idoso pode sofrer de hipotermia e é por isso que o termóstato nunca deverá estar abaixo dos 65 graus centígrados (a temperatura corporal não deve ser inferior a 35 graus celsius). Para que a pessoa idosa não tenha frio, certifique-se que ela anda agasalhada, tanto dentro como fora de casa.

2. As gripes e as constipações

No tempo mais frio, o aparecimento de constipações e de gripes é mais frequente e, normalmente, os idosos são as pessoas mais afetadas. Tenha em consideração que o inverno é a estação do ano mais propícia ao desenvolvimento e à propagação de vírus e, como tal, os idosos devem estar bem protegidos. Assim sendo, para evitar a gripe e as constipações, é preciso que os idosos não entrem em contacto com outros indivíduos afetados, nem partilhem espaços fechados com outras pessoas. Uma pessoa idosa deve ser vacinada todos os anos, especialmente se sofrer de doenças cardíacas.

3. A desidratação

Os idosos são pessoas particularmente propensas à desidratação, uma vez que comem e bebem menos que as pessoas mais jovens, logo, consomem menos água. De uma forma geral, as pessoas também sentem menos sede nos meses mais frios do inverno e, como tal, não ingerem a quantidade de líquidos suficientes para manter os níveis de água no organismo normalizados. Assim sendo, além de verificar se um sénior se está a alimentar corretamente, também deve observar se ele bebe líquidos de forma regular para não ficar desidratado.

4. O gelo e a neve

No inverno, as superfícies das ruas são muito escorregadias devido à acumulação de gelo e humidade nos seus passeios e calçadas. Essa situação é muito perigosa, principalmente para os seniores, pois o risco de caírem e sofrerem alguma lesão é muito elevado. Dessa forma, deve certificar-se que a varanda, a garagem e as entradas de casa estão sempre bem limpas. Para prevenir a perda de equilíbrio nas pessoas idosas, principalmente das que sofrem da doença de Parkinson, é muito importante que o calçado seja antiderrapante para evitar quedas.

5. O kit de emergência

As tempestades de inverno podem ser ferozes ao ponto de fazerem grandes estragos e por obrigarem as pessoas a ficarem fechadas dentro de casa durante vários dias. Assim sendo, é fundamental que um idoso esteja equipado com um kit de emergência para o ajudar a ultrapassar estes períodos com a maior segurança possível. Cada kit de emergência deverá incluir alimentos e água para vários dias, alguns dos medicamentos principais do idoso, uma lanterna, um rádio, pilhas extras e primeiros socorros adicionais.

6. As lareiras e os aquecimentos

As lareiras e os aquecimentos são extremamente importantes para fornecerem o calor necessário para as pessoas aguentarem o frio que se faz sentir durante a estação do inverno. No entanto, devem ser tomadas todas as precauções para que eles não sejam um risco para a saúde humana. Quando a lareira ou o aquecimento estão ligados, é necessário abrir um pouco a janela ou a porta para haver circulação de ar. Caso não o faça, a concentração de monóxido de carbono (gás letal) poderá ser fatal.

Se o aquecimento for alimentado a gás, deve verificar se a casa do idoso tem instalado um detetor de monóxido de carbono; se for alimentado a eletricidade, deve observar se não existe nenhum cabo danificado ou desgastado que possa causar um curto-circuito. No caso dos aquecedores, não os deve deixar ligados durante a noite ou quando as pessoas saem de casa, nem devem deixar roupa a secar sobre eles, uma vez que isso pode provocar um incêndio.

Tenha em mente que deve manter todos os materiais inflamáveis, como os cortinados ou casacos, afastados das fontes de calor para não existir o risco de acontecer uma combustão.

7. O vestuário

As roupas que os idosos vestem no inverno são determinantes para o seu bem-estar e conforto nos meses mais frios. As roupas deverão ser folgadas, secas e fabricadas com materiais que não façam transpirar, como o algodão e as fibras naturais. É aconselhável que os idosos usem luvas, cachecóis, chapéus e casacos, de modo a estarem o melhor protegidos possível contra as condições climatéricas mais adversas. Também é muito importante usar um tipo de calçado quente e confortável, pois só assim estará bem seco. Em casa, os idosos também devem estar bem agasalhados e ao dormir podem usar botijas de água quente, embora com cuidado para não fazer queimaduras de pele.

A sua votação: 
Average: 4.6 (7 votos)